29.6.09

Homenagem Nerd

video

Como todos já sabem, Michael Jackson foi fazer seu "Moon walk" em outro plano. Ele teve uma vida bastante turbulenta, mas nada que negue seu talento na música e na dança. Em uma breve homenagem coloco esse vídeo (versão Nerd), para lembrar seu maior sucesso. Michael, o mito. Nem herói, nem monstro... Apenas... Michael!!!

17.6.09

Cavalo descontrolado leva o dono aos Portões do Inferno

Parecia ser uma manhã normal. Fui à universidade logo cedo, assisti aula e estava voltando para casa. Esperava o meu ônibus tranquilamente quando o incidente aconteceu.

Uma carroça passava em frente à parada de ônibus quando perdeu o controle e invadiu o giradouro próximo à universidade. Um dos passageiros foi arremessado para fora do... veículo e ficou caído sobre a grama do local. O... condutor da carruagem demorou alguns segundos para assumir de volta o controle sobre a feroz máquina de 1 cavalo de potência, amarrando-a bem ao lado do Porteiro do Inferno.


Poucos minutos depois, a figura caída levantou-se - parecia ser uma mulher de meia-idade - e junto com o "motorista" foram a um bar próximo, suponho que para pedir gelo para os hematomas dela.

A manhã teria sido normal, não fosse pelo curioso incidente. Nas mãos de um jornalista escroto, teria virado uma divertida manchete de humor negro. Mas eu cheguei primeiro.

16.6.09

Política

Aí está o que eu penso da política...
É importante conhecer um pouco,
mas o pouco que conheço não me agrada!!!

Tirinha de Mafalda

9.6.09

Um pouco de política não faz mal...

Anos de aprendizado para estudar em uma universidade federal, dedicação total ao curso de direito, aprovação na prova da OAB, para ser eliminado pela avaliação de sobrenome, sem chance de ficar na lista de espera, pois a família do deputado possui outros sobrinhos formados, no curso exigido, em uma faculdade qualquer.

Dois sobrinhos que não encontraram um emprego bom por falta de currículo, os maridos inúteis de suas duas queridas irmãs, que casam com qualquer um e as três filhas de irmãos, as quais só ocupam espaço na casa. Essas pessoas precisam fazer alguma coisa e, nada mais justo, que colocá-los para trabalhar junto ao tio (ou cunhado) Efraim Moraes. Afinal, todos são obedientes àquele que lhes deu o cargo. E para quê melhor qualificação que o sobrenome? Enfim esta foi, indiretamente, uma escolha do povo paraibano que o elegeu como Senador.

Entretanto, nem tudo dura para sempre, pois no mês de setembro, desse ano, o nosso representante, já citado, teve seus parentes exonerados por nepotismo. Em dois meses foram exonerados oitenta e sete parentes de políticos, como foi divulgado pelo Estadão. Porém, para a infelicidade dos capacitados e para a alegria dos familiares de representantes, muitas cidades e estados não possuem tal investigação, então acaba ficando 'por isso mesmo'.

O nepotismo é contra a lei, vai de encontro à moral e a ética, pois o representante que coloca o filho (ou outro) em algum cargo público está sendo desonesto com a população que o elegeu. Pois sabemos que filho de corruptor, 'corruptinho' será.

Sei que o assunto é um pouco chato, mas não custa falar alguma coisa.

3.6.09

Me apresentando

E então, aqui estamos. No começo de tudo, o que fazer, afinal? Aqui o cliente tudo pode falar, mas certamente não iremos ouvir; mas se o senhor escrever, talvez possamos ler. Entre, sente-se, abunde-se, acomode-se. A casa não é sua, faça o favor de me servir e, por favor, repare na bagunça. Bagunça, esse é nosso prato principal. Prefere ao catupiry ou com chantily? Hmmm... ambos são ótimas opções.

Mas que cabeça minha, esqueci de me apresentar: eu sou X. Sim, sou uma incógnita, a váriavel de muitas equações, o X da questão. Quer saber meu valor? Vai ter que me empurrar contra a parede, me isolar em um lado da equação. Acha que pode conseguir? Convido-lhe a tentar.

Teste - que livro você é?

Achei esse site e fiz o teste para descobrir que livro eu seria...
Deparei-me com dois resultados:
"O vampiro de Curitiba", de Dalton Trevisan
Descolado, objetivo e realista. Cult. Você deve se sentir mais à vontade longe de shoppings, da TV e de qualquer coisa que grite “cultura de massa”. Nada de meias palavras: a elas, você prefere o silêncio. Você não vê o mundo através de lentes cor-de-rosa, muito pelo contrário. Procura ver o mundo como ele é, entendê-lo, senti-lo. Às vezes, bate até aquele sentimento de exclusão, ou de solidão. Mas é o preço que se paga por ser um pouco "marginal". Não se preocupe, pois você atrai a admiração de pessoas como você: modernas no melhor sentido da palavra.
Em "O vampiro de Curitiba" (1965), Nelsinho protagoniza uma variedade de contos, nos quais ele busca satisfazer sua obsessão sexual vagando pelas ruas de Curitiba - paralelamente, esta cidade de contrastes se revela ao leitor. A temática e a forma já denunciam: este não é um livro para qualquer um. Tem que ter cabeça aberta para enfrentar a linguagem nua e crua de Trevisan, que é reverenciado pelo leitor capaz de driblar velhos ranços burgueses.

e

"Carmen – Uma biografia", de Ruy Castro
Boa história é com você mesmo. Adora ouvir, contar, recontar. As de pessoas interessantes e revolucionárias são as suas preferidas. Tem gente que liga para você só para saber das últimas fofocas. E confesse: com seu jeitinho manso e detalhista, você dá aos fatos um sabor todo especial. Além disso, não se contenta em reproduzir o que já foi dito. Por isso, se fosse um livro, você só poderia ser uma boa biografia, daquelas que faz os leitores deitarem na rede do fim de semana e se entregarem às peripécias de uma grande personagem. Aliás, você já pensou na profissão de repórter? Ou de escritor?
"Carmen – Uma Biografia" (2005), sobre Carmen Miranda, é uma das aclamadas biografias publicadas por Ruy Castro, também jornalista e tradutor, considerado um dos maiores biógrafos brasileiros.

E você? Que livro você é?

2.6.09

Em Nome do Pai


O filme “Em Nome do Pai”, com Daniel Day-Lewis, é aquele tipo de filme que a gente assiste e, depois, não assiste mais nada durante horas. Fica-se estagnado, esperando alguma reação do seu cérebro. Day-Lewis passa uma emoção que dói, o simples fato de estarmos presos a uma cadeira da sala sem poder fazer nada, dói de verdade. Observar alguém que amamos sofrendo e sem poder fazer nada, é triste demais. O sofrimento de Gerry (personagem de Daniel), demonstra uma angústia inacreditável, ele é digno de ser considerado formidável. Sua atuação foi realmente perfeita. Quando terminei de assistir fiquei horas sem reação e com o coração doendo, mas valeu a pena.
Recomendações
- Se você chora fácil e não quer chorar, não assista. Se você realmente ama seu pai, faria qualquer coisa por ele e não quer chorar, não assista;
- Caso você acha seu pai brega e as coisas que ele diz são inúteis, ASSISTA;
- Se você for um amante do cinema e ainda não assistiu esse filme, crie vergonha na cara e ASSISTA;